Orçamentos

Blog

Fique por dentro das novidades da zoeweb e da tenologia de streaming

Cada vez mais empresas investem no mercado de streaming. Com a evolução e aderência em massa deste tipo de transmissão de multimídia na internet, o mercado de streaming se tornou um local de expansão de mídias tradicionais, bem como local de impulsionamento da produção de pequenas e médias empresas.

 

Para ilustrar isto melhor é possível citar inúmeros cases de sucesso que envolvem grandes nomes no mercado da tecnologia. Atualmente grandes empresas de televisão como a NET e a HBO investem em seus próprios serviços de streaming na rede. A NET possui a Net Now, que é uma plataforma de vídeos On Demand onde é possível assistir aos conteúdos de vídeo do canal a partir de seu smartphone, computador ou tablet. Já o serviço da HBO é a plataforma online HBO Go, que dá acesso aos filmes e séries do canal além de diversos canais da rede Globosat.A ideia dessas empresas é sempre exibir o máximo de conteúdo em qualquer tipo de aparelho, apostando assim em tendências como a mobilidade e adaptação a diferentes telas (como explicamos por aqui, falando da tecnologia de Adaptive Streaming).

 

Além disso existe o sempre comentado Netflix, serviço de streaming que nasceu nos Estados Unidos no fim dos anos 1990 e hoje tem mais de 57,4 milhões de assinantes em todo o mundo. Seguindo seu caminho, outras grandes empresas entraram no meio audiovisual, tendo como um exemplo interessante a Amazon que, depois de dominar o mercado de e-commerce, passou a investir em streaming. Desde 2014, a empresa produz séries que são exibidas on-line (serviço ainda não disponível no Brasil).

 

Para finalizar a ilustração deste crescimento do mercado de streaming, utilizaremos um grande case de sucesso, que surpreende desde seus primórdios : o Spotify. Recentemente a empresa anunciou que vai expandir seus serviços, lançando sua própria plataforma de vídeos. Esta nova funcionalidade do serviço vai oferecer notícias e podcasts, com conteúdo de canais renomados como BBC, MTV, ESPN e Comedy Central.Ou seja, quem está por dentro das tendências de mercado, como estas grandes empresas citadas acima, não hesita em investir em streaming. As mudanças na tecnologia afetam a todos: exibidores, produtores de conteúdo e espectadores. A diversidade de conteúdo oferecida é muito grande e o público para consumi-la também se encontra em constante crescimento.

 

Para pequenos produtores de conteúdo audiovisual, a internet também é um caminho interessante para ser descoberto. Investindo em conteúdo feito exclusivamente para a web (com enquadramentos diferenciados, conteúdos mais compactos e principalmente interativos) pequenas web rádios, web tv’s ou mesmo empresas que realizam transmissões de eventos conseguem alcançar um grande público expandindo assim seu consumo e audiência.

 

E o mercado de Smart TV’s também está ai para provar esta revolução multimídia causada pelo streaming. O Mozzila (browser de internet) anunciou há pouco tempo uma parceria com a Panasonic, com a criação de uma plataforma onde o usuário pode acessar de maneira rápida sites e ainda criar e personalizar aplicativos do WebAPI da Mozilla (a novidade deve chegar ao mundo nos próximos meses).

 

Desafio

Apesar da grande evolução que a internet já enfrentou desde sua chegada ao Brasil, a rede ainda tem muito a caminhar. A velocidade média da internet no Brasil é de 3Mbps (megabit por segundo), fazendo com que o país ocupe a 89ª taxa de download mais rápida do mundo, atrás do Iraque e do Sri Lanka. A Coreia do Sul, que ocupa o primeiro lugar, tem velocidade média de 22,2Mbps, segundo a Akamai, empresa referência na área e esta discrepância demonstra o por quê de muitos ainda resistirem em investir em produzir para a web.

Mas este problema pode ser contornado seguindo algumas dicas básicas de configurações para sua transmissão.

 

rodape_revolucao_multimidia